PS CORAÇÃO DE JESUS

Agosto 27 2009
Foi com alguma surpresa que vi nos jornais a notícia de que um tal Partido Nulo teria impugnado a lista liderada por António Costa às eleições autárquicas de Lisboa, porque seria uma “coligação” entre um partido e um movimento de cidadãos e, como tal, seria “ilegal”.
 
Como toda a vida fui uma pessoa rigorosa, acho que devo esclarecer três coisas: primeiro, a lista apresentada para a Câmara Municipal não é, nem podia ser com a actual legislação, uma coligação: é uma lista do Partido Socialista que inclui, como independentes, membros do movimento Cidadãos por Lisboa e da Associação Lisboa é Muita Gente; segundo, o acordo coligatório que esteve na base da inclusão de pessoas do movimento Cidadãos por Lisboa nesta lista foi um acordo de palavra entre pessoas de palavra – não carece de qualquer formalização em tribunal; terceiro, Manuel João Ramos, que encabeçou comigo a lista dos CPL em 2007, foi por mim ouvido sobre esta matéria e, apesar de me ter manifestado a sua discordância, nunca invocou qualquer espécie de dificuldade legal, mas apenas razões de ordem pessoal e profissional para não continuar ao nosso lado.

A impugnação judicial não tem pés para andar, porque é ela própria ferida de nulidade: invoca um pretexto que não existe (uma pretensa coligação) e é feita em nome de um partido que, tanto quanto sei, também não existe. Mas o que fica é o gesto. Uma coisa é discordar, outra é agir judicialmente. Uma coisa é a ironia, que o Manuel João cultiva com talento, outra é criar situações que ferem as relações de confiança entre as pessoas. Os gestos ficarão com quem os tomou. Para mim escolho a certeza de que o acordo que fizemos com o PS é um passo importante para a vitória em Lisboa. E pode abrir caminho à mudança da lei eleitoral, garantindo no futuro aos movimentos de cidadãos os mesmos direitos que aos partidos, à luz dos princípios da igualdade e da democracia participativa inscritos na Constituição.

Helena Roseta in blog http://www.cidadaosporlisboa.org/index.htm
publicado por pscoracaodejesus09 às 22:57

Agosto 27 2009

As pessoas são o coração de Lisboa

publicado por pscoracaodejesus09 às 22:31

Agosto 27 2009

A Igreja do Sagrado Coração de Jesus, designada, usualmente por Igreja do Coração de Jesus, é uma igreja paroquial que pertence ao Patriarcado de Lisboa, sita na Rua Camilo Castelo Branco, nº 4, em Lisboa.

 

É obra dos arquitectos Nuno Portas e Nuno Teotónio Pereira, tendo-lhe sido atribuído o Prémio Valmor de 1975.

 

Uma das duas únicas igrejas existentes em Portugal construída no verdadeiro estilo romano, é um monumento digno de se ver e imprescindível de visitar quando se passe pela freguesia de Coração de Jesus.

 

Foi edificada para substituir a igreja paroquial do mesmo orago, sita na Rua de Santa Marta, que se tornara pequena para tantos fiéis.

 

Fora construída entre 1780 e 1790, com projecto de Manuel Caetano de Sousa, nos terrenos cedidos por Cristóvão de Sousa da Silva d'Alte, sendo a obra paga pela Irmandade do Santíssimo, da qual era membro D. Francisco de Sousa Coutinho, 12º Conde do Redondo. A igreja seria restaurada, nos anos 70 do século XIX.

publicado por pscoracaodejesus09 às 00:11

RIGOR E COMPETÊNCIA
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

17
18
20
21
22

24
25



as minhas fotos
pesquisar
 
Eleitos socialistas para a Assembleia de Freguesia de Coração de Jesus
Eduardo Faria Caetano; Ermelinda Caetano; José Manuel dos Santos; Sónia Miranda.
Suplentes à Assembleia de Freguesia de Coração de Jesus pelo PS
Gustavo Seia; Maria Natércia Constâncio; Manuel Alçada Alves; Maria Teresa Silva; Hugo a Malcato; Manuela Brás Valente; Carlos Miranda; Luísa Sofio; José Bessa
Contacte connosco
coracaodejesus09@gmail.com
subscrever feeds
blogs SAPO