PS CORAÇÃO DE JESUS

Março 29 2010
O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, garantiu hoje que o Teatro Variedades vai ser reabilitado e o Maria Vitória permanecerá em actividade durante as obras no Parque Mayer. António Costa falava na Casa dos Artistas (Lisboa) perante perto de 200 artistas num almoço que a autarquia ofereceu hoje a artistas portugueses, no âmbito das comemorações do Dia Mundial do Teatro, que se assinalou no sábado. Segundo o autarca, este almoço que se realiza anualmente visa "agradecer aos artistas o muito que têm feito pelo teatro e pela cidade de Lisboa". António Costa lembrou que este ano as comemorações do Dia Mundial do Teatro em Lisboa ficaram marcadas pelo arranque das obras no Teatro Capitólio, que receberá o nome de Raul Solnado, falecido em agosto de 2009. Sobre o futuro do Parque Mayer, António Costa disse que não passa pela autarquia mas antes pelos agentes e criadores culturais que farão daquele espaço "o que quiserem". O autarca adiantou ainda que durante este ano e logo que terminem as obras no cinema Olímpia, a autarquia vai iniciar a obra de construção de um passeio dos artistas que ficará situado na rua Condes. A obra é um projeto do cenógrafo Lopes Alves que contempla uma intervenção naquela rua da cidade de Lisboa em memória dos grandes nomes do teatro mas também de nomes das atuais gerações, referiu António Costa. Cucha Carvalheiro, Catarina Avelar, Graça Lobo, Rui Mendes, Carmen Dolores, Francisco Nicholson, Magda Cardoso, Vítor de Sousa, Teté, Manuela Maria, Linda Silva, Adelaide João, Rita Ribeiro e Lurdes Norberto, entre outros, contavam-se entre os artistas que participaram no almoço, que contou ainda com a presença da vereadora da Cultura da Câmara de Lisboa, Catarina Vaz Pinto.
publicado por pscoracaodejesus09 às 16:46

Março 24 2010
O presidente da Câmara de Lisboa afirmou hoje que o lançamento da última fase do novo terminal de cruzeiros da capital assinala "uma nova era no relacionamento" entre o executivo municipal e a Administração do Porto de Lisboa (APL). "Este é um momento particularmente importante, e é para mim um grande prazer ter este novo tipo de relacionamento com a APL. O porto ganhará, Lisboa ganhará, ganharemos todos", referiu António Costa. O autarca falava durante o lançamento do Concurso Público de Concepção para a Elaboração do Projeto do Terminal de Cruzeiros de Lisboa, hoje realizado na Gare Marítima de Santa Apolónia. Referindo que nos cerca de 19 quilómetros da Frente Ribeirinha há espaço "para tudo ou quase tudo", enumerando "turismo, mercadorias ou passageiros" como elementos conexos à zona, o autarca defendeu que o turismo é uma das "componentes fundamentais da base económica" de Lisboa, essencial para o crescimento da cidade. "Lisboa é Lisboa porque começou por ser porto", disse o autarca socialista, que frisou também que um novo terminal de cruzeiros é "essencial e prioritário" para Lisboa e deve ser feito "em conjunto" entre a autarquia e a APL, porque esta "não é só uma infraestrutura portuária, é uma infraestrutura fundamental para a cidade". O novo terminal de cruzeiros de Santa Apolónia ficará concluído em 2013, e a quarta fase, hoje apresentada, terá um custo de cerca de 25 milhões de euros, suportados pela APL, que lançou hoje o concurso em conjunto com a autarquia lisboeta e a Ordem dos Arquitetos. A presidente da APL, Natércia Cabral, afirmou durante a sessão que "ter um terminal de cruzeiros moderno" e "capaz de dar resposta às crescentes exigências da atividade é, de há muito, uma ambição" do Porto de Lisboa, ambição essa "hoje partilhada com o município de Lisboa". Realçando que em 2009 o turismo de cruzeiros foi o único a registar crescimento em volume de negócio, e que em Lisboa, "nos cinco últimos anos", o número de passageiros em cruzeiros "aumentou 74 por cento", a responsável declarou que uma estadia "segura, confortável e memorável" numa paragem de um cruzeiro representa "muitas vezes" um retorno para "férias mais prolongadas", essencial para dinamizar a economia local. Antes das intervenções da presidente da ATL e do presidente da Câmara de Lisboa foi apresentada a evolução do projeto do novo terminal de cruzeiros de Lisboa. O novo projeto terá em conta, sustentam os responsáveis da APL, "a relação com o edificado de carácter excecional da zona", tais como os edifícios da Alfândega ou o Museu Militar. O futuro terminal levará também em consideração a proximidade do centro histórico da cidade, sendo que o projeto a apresentar na sequência do concurso de ideias requer a definição de um edifício "que se destaque pela sua integração na cidade", envolto numa "estratégia de refuncionalização de edifícios na área envolvente, que permita uma vivência do espaço ao nível do turismo, lazer, comércio, serviços e equipamentos". Com uma área total de cerca de 700 metros quadrados, o novo terminal terá uma extensão de 1100 metros de cais acostável.
publicado por pscoracaodejesus09 às 20:22

Março 24 2010
A Câmara de Lisboa aprovou hoje um protocolo com a Ordem dos Arquitetos para a elaboração de concursos para intervenções em dez zonas da cidade, entre as quais a Doca de Pedrouços. "O protocolo garante a colaboração técnica" da Ordem dos Arquitetos, explicou o vereador do Urbanismo, Manuel Salgado (PS), que sublinhou que os concursos não serão lançados todos ao mesmo tempo, mas argumentou que "é bom que sejam todos anunciados ao mesmo tempo" para permitir a sua discussão pública. Um dos projetos é a requalificação da zona de Pedrouços, essencial para a passagem da Volvo Ocean Race 2011/2012 em Lisboa, que acolherá a primeira escala da 11. edição da prova. Para a Doca de Pedrouços está prevista a requalificação do espaço público, a criação de uma área de atividades económicas e outra ligada às ciências médicas, por reconversão da antiga Doca Pesca, e a criação de novas ligações diretas (viárias e pedonais) entre a cidade e o rio e o concelho de Oeiras. Prevê igualmente a integração do centro náutico para vela e motonáutica, compatibilizando a organização da Volvo Ocean Race para 2011/2012, e a reabilitação da praia de Algés, criando um espaço lúdico recreativo com zona de praia e uma piscina flutuante, tudo em articulação com o município de Oeiras. Quanto ao Parque Eduardo VII está prevista a requalificação desta zona, com recuperação da Estufa Fria e requalificação do miradouro e outros espaços lúdicos existentes e a criação de um novo parque infantil, além da reconversão do atual Pavilhão Carlos Lopes no futuro Museu do Desporto. Para a zona da Matinha está prevista a criação de um passeio que prolongue para sul o espaço público do Parque das Nações e integre os pavilhões da Administração do Porto de Lisboa (APL), permitindo a sua reconversão para lazer. Outra das zonas que será alvo de concurso de conceção é a Praça de Espanha, uma área que verá reestruturado todo o sistema viário e formalizada a criação do corredor verde de ligação entre o Parque Eduardo VII e o Monsanto. Para o terreno da zona de Pedrouços pertencente à autarquia lisboeta está previsto um edifício misto de habitação e serviços, uma biblioteca pública, estacionamento público em cave e uma praça central pública relacionada com atividades comerciais e culturais, propondo também uma ligação pedonal à frente ribeirinha. Segundo anunciou no ano passado o vereador Manuel Salgado, este trabalho para Pedrouços deverá ser projetado por jovens arquitetos. Para o cais de Santos está previsto o reforço das ligações pedonais e viárias perpendiculares ao rio, através do prolongamento da Avenida D. Carlos I por túnel até à zona ribeirinha/via porto de Lisboa, e duas passagens pedonais - na zona do aterro da Boavista e na Calçada Ribeiro Santos. O alargamento da plataforma junto ao rio, com a instalação de esplanadas, enquadrando os edifícios existentes, e a requalificação de toda a frente edificada entre o rio e a linha férrea estão igualmente contemplados. Com esta parceria com a Ordem dos Arquitetos a autarquia pretende igualmente lançar concursos para a reabilitação urbana do Largo de Santos e para a requalificação do espaço público do Largo do Rato, com novas soluções de acessibilidade viária, alargamento de passeios e nova arborização. O protocolo com a Ordem dos Arquitetos inclui ainda a criação de quatro percursos assistidos por meios mecânicos à colina do Castelo, criando cinco parques de estacionamento público para colmatar a falta de lugares.
publicado por pscoracaodejesus09 às 20:12

Março 10 2010

A Câmara Municipal de Lisboa vai, ao longo deste  ano, fazer obras no pavimento de 280 vias da cidade, entre as quais a Segunda  Circular e a Calçada de Carriche, que implicarão restrições de mobilidade  para os automobilistas.  
  
Segundo o vereador da Mobilidade, Infra-Estruturas e Obras Municipais,  Fernando Nunes da Silva, ao todo são 115 mil metros quadrados de intervenções,  que representam um investimento de 8 800 milhões de euros.  
  
A Segunda Circular sofrerá reparações entre o LNEC e a saída para o  RALIS, na direção Benfica/Aeroporto, com previsão de conclusão em maio,  enquanto que a repavimentação da Calçada de Carriche deverá estar concluída  em julho.  
  
A avenida do Brasil, a avenida Padre Cruz, a avenida da Ilha da Madeira,  a praça Paiva Couceiro, a zona envolvente ao Príncipe Real, a avenida de  Brasília e a dos Defensores de Chaves são outras vias que irão ter obras. 
  
As ruas de interior de bairro também vão sofrer intervenções, à medida  que os esquemas de mobilidade dentro dos bairros vão sendo concluídos.  
  
"Não há milagres. Não há grande capacidade de fazer desvios de trânsito  muito significativos. Vão haver sacrifícios. Quando estou a fazer intervenções  na Calçada de Carriche e na Segunda Circular tenho de impor restrições",  admitiu Nunes da Silva.  
  
"Vamos tentar que o impacto para os automobilistas seja o menor possível",  acrescentou, salientando que o investimento em arruamentos representa este  ano um aumento de 40 por cento em relação a 2009.  
  
Nunes da Silva realçou, contudo, que a verba para os arruamentos está  dependente da aprovação do Orçamento da autarquia lisboeta pela Assembleia  Municipal (AML).  
  
"Estamos a viver dos duodécimos, não temos orçamento aprovado, porque  o executivo não tem maioria na AML e é preciso que as pessoas saibam que  as obras só não se fazem por causa da chuva ou por boicote por parte da  AML", afirmou.  
  
O vereador considerou que "este inverno tem sido preocupante por causa  da muita pluviosidade numa cidade velha, onde durante demasiados anos não  se fizeram intervenções nos arruamentos".   
  
"Não vale a pena fazer intervenção nestes buracos enquanto a chuva não  parar", disse, salientando que tapar buracos é caro e ineficaz quando se  tem chuva permanentemente.   
  
"O que é importante é o que vai acontecer a seguir. Vamos fazer intervenções  de fundo e a partir do próximo ano esperamos fazer isso de forma sistemática,  esperando que daqui a 10 anos teremos as ruas de Lisboa como deve ser",  considerou.  
  
 Segundo dados da CML, em 2009, a autarquia registou 796 queixas de cidadãos  relacionadas com o mau estado do pavimento, quando no ano anterior apenas  se verificaram 470 e, em 2007, 486.  
  
 Este ano, já se verificaram 100 queixas de munícipes devido ao mau estado  dos arruamentos.   
  
"Estamos a pagar 60 mil euros por ano em indemnizações o que é significativo",  acrescentou.

publicado por pscoracaodejesus09 às 10:43

Março 05 2010

No passado dia 26 de Fevereiro reuniu no Hotel Embaixador pelas 21h30, a Assembleia de Freguesia de Coração de Jesus com a seguinte Ordem de Trabalhos:

1 - Substituição de Membro renunciante da Assembleia de Freguesia;

2 - Informação do Presidente e da Situação Financeira;

3 - Aprovação das Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2010;

4 - Aprovação do Mapa de Pessoal e

5 - Aprovação de alterações ao Regimento da Assembleia.

 

No período antes da ordem de trabalhos intervieram vários membros do público que colocaram questões relacionadas com os apoios devidos pela Junta de Freguesia ao clube desportivo "Os Águias" e à situação de que vive na Travessa do Despacho e na Rua do Passadiço onde as obras do hotel estão a criar alguns incómodos aos moradores.

 

Entrados no período da Ordem de trabalhos, os vogais de Coração de Jesus foram chamados a proceder à substituição de um membro da Assembleia de Freguesia que renunciou ao seu mandato. Subindo o membro da coligação PSD/CDS colocado imediatamente a seguir na lista concorrente às últimas eleições autárquicas.

 

Em relação à informação do Presidente entenderam os vogais eleitos pelo Partido Socialista propor ao Presidente da Junta que nas próximas informações que elabore para distribuir na Assembleia de Freguesia, opte por, em vez de frases sempre semelhantes  que no fundo não passam de um desenrolar de ideias vagas e de pouco conteúdo, enunciar pormenorizadamente as várias acções, se as houve, nos vários campos de actuação, nomeadamente sob os auspícios dos protocolos assinados com a câmara, para que se possa mais efectivamente aquilatar da actuação do executivo da Junta.

 

Em relação ao ponto 3, duas pequenas notas são de deixar. Orçamento essencialmente virado para o interior e com um excessivo peso administrativo na opinião dos eleitos socialistas, demonstra a continuação da aposta da Junta nas actividades interessantes do ponto de vista publicitário mas pouco efectivo na verdadeira resolução dos problemas da população, idosa e carenciada da freguesia. Despesas em excesso com um site pouco operativo e informativo de muito pouco interesse, excessivo gasto de dinheiro em telefones e telemóveis, retribuições pouco esclarecidas, enfim, um orçamento que seguramente não seria o apresentado por nós.

 

O segundo ponto é de que neste mandato o vogal eleito pelo Partido Comunista Português co-responsabiliza-e com o executivo da Junta de Freguesia no que diz respeito às grandes opções do Plano já que emprestou o seu voto positivo à votação desse Plano de actividades proposto e que continua, à semelhança de outros mandatos, por ser pobre e pouco ambicioso.

 

Nós socialistas somo-lo mais, queríamos mais e seria possível mais. Razão pela qual nos abstivemos na votação tanto do Plano de Actividades como na Proposta de Orçamento. Não deixamos no entanto, de realçar, porque é justo fazê-lo, que pela primeira vez na sua história o executivo da Junta reuniu com os grupos da oposição a quem pediu eventuais sugestões e opiniões. Seja porque perdeu a maioria absoluta e não pode ser arrogante, seja porque finalmente entendeu dever respeitar o direito da oposição legalmente estatuído, regista-se aqui com agrado o facto.

 

Plano de Actividades foi aprovado por cinco votos (os quatro da coligação que gere a Junta e o do vogal da CDU) e com quatro abstenções (as dos vogais do PS). O Orçamento passou com o voto dos quatro eleitos do PSD/CDS e com a abstenção dos vogais do PS (4) e da CDU (1).

 

A decisão de optar pela abstenção foi única e exclusivamente tomada pelo sentido de responsabilidade que move os vogais socialistas, que entendem não ser aceitável por um lado não dar ao Executivo da Junta todos os instrumentos para poder avante a acção para a qual foi eleita e por outro passado que é tão pouco tempo sobre a data das eleições nada justificaria abrir uma crise no executivo da Junta de Freguesia.

 

Os vogais eleitos pelo PS, dando voz a várias queixas, dúvidas e questões levantadas durante a campanha eleitoral entregou na mesa um requerimento solicitando ao abrigo da lei que informe detalhadamente da totalidade de membros de dão qualquer tipo de colaboração à junta, permanente ou ocasional, a sua retribuição, as suas funções, o local de trabalho e o horário de trabalho.

 

Requereram também ao Executivo da Junta através do seu Presidente que informasse a razão e o destino de uma verba que falta nos depósitos a prazo por ser conveniente saber da sua aplicação.

 

Mapa de Pessoal aprovado por unanimidade, os vogais da Assembleia de Freguesia aprovaram por unanimidade a proposta final de Regimento da Assembleia. Resultante do trabalho de uma comissão paritária eleita na primeira Assembleia de Freguesia as alterações introduzidas ao Regimento transposto do mandato anterior incidiram essencialmente no aperfeiçoamento das actas e na forma de as tornar mais esclarecedoras.

 

publicado por pscoracaodejesus09 às 17:54

RIGOR E COMPETÊNCIA
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
25
26
27

28
30
31


as minhas fotos
pesquisar
 
Eleitos socialistas para a Assembleia de Freguesia de Coração de Jesus
Eduardo Faria Caetano; Ermelinda Caetano; José Manuel dos Santos; Sónia Miranda.
Suplentes à Assembleia de Freguesia de Coração de Jesus pelo PS
Gustavo Seia; Maria Natércia Constâncio; Manuel Alçada Alves; Maria Teresa Silva; Hugo a Malcato; Manuela Brás Valente; Carlos Miranda; Luísa Sofio; José Bessa
Contacte connosco
coracaodejesus09@gmail.com
subscrever feeds
blogs SAPO