PS CORAÇÃO DE JESUS

Fevereiro 01 2010

O primeiro-ministro elogiou esta segunda-feira o "cosmopolitismo"  e visão "universalista" da Câmara de Lisboa na requalificação da zona ribeirinha,  durante a cerimónia de lançamento da primeira pedra do novo Museu dos Coches. 
  
José Sócrates falava após intervenções do presidente da Câmara de Lisboa,  António Costa, do secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, e  da ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas, num discurso em que também  fez rasgados elogios ao projeto do arquiteto brasileiro Paulo Mendes da  Rocha para o novo Museu dos Coches.  
  
"Deus sabe as dificuldades para que este dia pudesse ser o dia de arranque  da construção do novo Museu dos Coches. Todas as mudanças, todos os novos  projetos têm as suas dificuldades, e aqui também as tivemos, mas esse esforço  é agora recompensado, porque permitiu a Portugal dar um sinal claro de investimento  numa área cultural e museológica da maior importância", declarou Sócrates. 
  
Na sua intervenção, José Sócrates também aludiu às ligações de membros  da sua família à área da arquitetura.  
  
"Sou de uma família de arquitetos: o meu pai é arquiteto, o meu sogro e o meu cunhado são arquitetos - e até eu sempre tive a mania que sabia alguma coisa de arquitetura e tenho muitas opiniões sobre arquitetura. A  arquitetura não é a solução para todos os problemas do mundo, mas a arte da arquitetura é uma das mais importantes para os povos e pode dar um grande contributo para a nossa qualidade de vida", sustentou.  
  
Neste contexto, o primeiro-ministro afirmou que Portugal sente "grande  orgulho por ter das escolas de arquitetura mais conhecidas do mundo inteiro". 
  
"Mas quero homenagear a visão da Câmara de Lisboa que, compreendendo  bem que a alma portuguesa foi sempre cosmopolita e universalista, decidiu  ter na zona mais nobre de Belém as melhores escolas de arquitetura do mundo.  Além deste projeto de um brasileiro, teremos nesta zona um de Charles Correia  (um indiano de Goa) e de David Adjay (africano). Isto significa que Lisboa  não desiste da sua ambição cosmopolita e universal, querendo ter na cidade  os melhores arquitetos do mundo", afirmou.  
  
Antes desta intervenção de José Sócrates, já o presidente da Câmara  de Lisboa tinha feito um elogio ao Governo minoritário socialista, aproveitando  o facto de hoje assinalar cem dias após a sua posse.  
  
"Espero que os restantes 1300 dias sejam tão promissores como estes cem", declarou António Costa, numa cerimónia que contou com a presença de  vários membros do Governo, que horas antes tinham participado num Conselho de Ministros extraordinário no Centro Cultural de Belém.  
  
"O senhor presidente da Câmara teve a amabilidade de me lembrar quantos dias ainda faltam para terminar a legislatura. Mas não há melhor forma de assinalar cem dias de Governo do que estar presente no início da construção de uma das obras mais emblemáticas de investimento na cultura e na arquitectura",  disse por sua vez o primeiro-ministro em estilo de resposta. 

publicado por pscoracaodejesus09 às 19:07

RIGOR E COMPETÊNCIA
Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28


as minhas fotos
pesquisar
 
Eleitos socialistas para a Assembleia de Freguesia de Coração de Jesus
Eduardo Faria Caetano; Ermelinda Caetano; José Manuel dos Santos; Sónia Miranda.
Suplentes à Assembleia de Freguesia de Coração de Jesus pelo PS
Gustavo Seia; Maria Natércia Constâncio; Manuel Alçada Alves; Maria Teresa Silva; Hugo a Malcato; Manuela Brás Valente; Carlos Miranda; Luísa Sofio; José Bessa
Contacte connosco
coracaodejesus09@gmail.com
blogs SAPO